16 junho 2008

Mingau Cultural - O Incrível Hulk

Depois da cagada do Ang Lee em Hulk(2003), os fãs do Gigante Esmeralda com certeza esperavam que a Marvel consertasse os danos causados. E, na minha opinião, foi exatamente isso que significou O Incrível Hulk, que estreou dia 13 de junho. Afinal, foi muita falta de responsabilidade deixar um dos heróis mais famosos dos quadrinhos na mão daquela bichinha daquele japa (de Taiwan, eu sei) que dirigiu O Segredo de Brokeback Mountain.


Sob o comando de Louis Leterrier, diretor considerado de pouca expressão, que se estragou com Carga Explosiva e se redimiu em Cão de Briga, O Incrivel Hulk, teve seu elenco todo trocado (em relação ao filme de 2003). Graças a Deus! Porque o que salvou o filme foi a atuação e co-direção(não creditada) do brilhante Edward Norton. Acho que não tinha ninguem melhor que ele, que é fã declarado do herói, para interpretar o personagem principal mesmo.
A atuação da gostosa linda Liv Tyller, como Betty Ross, namoradinha do Bruce, também foi intessante.
Um dos únicos que não foram substituidos foi o movie bomber Stan Lee, criador da Marvel.
Lou Ferrigno aparece denovo também! \o/

O roteiro não foi grande coisa e deixou a desejar. Pelo que eu entendi, o roteirista e o co-roteirista seguiam linhas diferentes. O que ficou meio confuso, mas talvez esse contraste tenha sido o motivo do bom resultado, até porque assim é a linha do Hulk.

O que eu curti mesmo no filme foi que ele mencionou outros elementos do universo Marvel, além dos da história do Hulk. Isso começou recentemente, talvez em Homem de Ferro, e tem me empolgado muito imaginar um futuro filme dos Vingadores.

Enfim, pra mim valeu a pena, pelo menos pra ver consertarem a imagem do Hulk.
Quem concordou, discordou, achou uma merda ou sei lá o que, sinta-se livre para comentar.


1 comentários:

Rafaela disse...

Definitivamente vc me deixou com + vontade de assistir ao filme.